Fórum de animais fantásticos


    Criação de varinhas

    Compartilhe
    avatar
    Mestre
    Admin

    Mensagens : 248
    Data de inscrição : 03/12/2016

    Criação de varinhas

    Mensagem por Mestre em Ter Dez 13, 2016 7:05 pm

    Criação de varinhas

    Aqui estão algumas informações sobre como criar varinhas, a primeira é do site de J.K. Rowling e ela explica como escolheu as varinhas na época que escrevia os livros, nesse texto as indicações para escolha da madeira é por um calendário relativa a data de nascimento. Há também a opção das informações que ela colocou no pottermore, no qual a escolha da madeira é relativa personalidade. Escolhe um dos dois métodos de escolha das madeiras, já que elas podem não conter os mesmos tipos. Apesar de haver apenas três cernes aqui, você pode escolher outros tipos, desde que sejam de animais mágicos (isso também vale paras as madeiras).

    Lembre-se que devido à lei de Rappaport os bruxos na época em que se passa o fórum só podiam adquirir varinhas ao entrar em Ilvermorny. Além disso, a legislação estabelecida no fim do século XIX obtigou que cada membro da comunidade mágica dos Estados Unidos fosse requisitado a carregar uma "licença de porte de varinha", uma medida para que toda atividade mágica fosse observada de perto e identificar, assim, os perpetradores pelas varinhas. Com isso o MACUSA tem um registro de todos os usuários de varinhas dos EUA, além que tipo de varinha cada um anda, tamanho, cerne, madeira e fabricante.

    Índice:



    Última edição por Mestre em Dom Jan 08, 2017 4:58 pm, editado 4 vez(es)
    avatar
    Mestre
    Admin

    Mensagens : 248
    Data de inscrição : 03/12/2016

    Re: Criação de varinhas

    Mensagem por Mestre em Ter Dez 13, 2016 7:05 pm

    Madeiras do site

    Por J.K Rowling.

    Eu dei a Harry uma varinha feita de azevinho em 1990 quando eu fiz o primeiro rascunho do capítulo seis da “Pedra Filosofal'. Não foi uma decisão arbitrária: azevinho tem certas conotações que são perfeitas para Harry, particularmente quando contrastada com as associações tradicionais de teixo, que é de que é feita a varinha de Voldemort. As tradições européias dizem que o azevinho (azevinho em inglês é ‘holly', a autora diz que o nome da árvore de ‘holy', que significa sagrado, santo) repele o mal, enquanto que o teixo que tem uma incrível longevidade (existem teixos britânicos com mais de 200 anos) pode simbolizar tanto morte quanto ressurreição; a seiva é também venenosa.

    Algum tempo depois de eu ter dado a Harry sua varinha de azevinho e pena de fênix, eu achei uma descrição de como os celtas ligavam árvores a diferentes partes do ano, e descobri que, por pura coincidência, eu dei a Harry a varinha ‘correta' pelo dia de seu aniversário. Depois disso, eu decidi dar a Ron e Hermione varinhas célticas também. Ron, que nasceu no período de 18 de fevereiro a 17 de março, recebeu uma varinha de freixo (eu acho que originalmente eu o dei uma de faia), e Hermione, que nasceu entre 2 de setembro e 29 do mesmo mês, recebeu uma varinha de videira (eu não lembro o que eu dei a Hermione originalmente; possivelmente eu não tinha especificado uma varinha para ela ainda naquele estágio).

    Eu só utilizei as definições célticas para Ron e Hermione. Hagrid, por exemplo, tem uma varinha de carvalho, enquanto que pelo sistema celta ele teria de ter uma de sabugueiro; no Reino Unido, o carvalho é o ‘Rei da Floresta' e simboliza força, proteção e fecundidade; que outra varinha poderia ‘escolher' Hagrid? De qualquer forma, eu gostava de ter uma conexão secreta entre as varinhas de Harry, Ron e Hermione que só eu sabia (até agora pelo menos).

    Para aqueles interessados nas árvores associadas às diferentes partes do ano céltico, abaixo está uma lista que eu usei. Eu peço desculpas a qualquer especialista em árvores célticas por aí por qualquer erro que eu possa ter colocado (eu encontrei algumas variações entre as fontes desde que encontrei pela primeira vez essa informação).

      * 24 de Dezembro – 20 de Janeiro = Bétula (Beth)
      * 21 de Janeiro – 17 de Fevereiro = Sorveira (Luis)
      * 18 de Fevereiro – 17 de Março = Freixo (Nion)
      * 18 de Março – 14 de Abril = Amieiro (Fearn)
      * 15 de Abril – 12 de Maio = Salgueiro (Saille)
      * 13 de Maio – 9 de Junho = Pilriteiro (Huath)
      * 10 de Junho – 7 de Julho = Carvalho (Duir)
      * 8 de Julho – 4 de Agosto = Azevinho (Tinne)
      * 5 de Agosto – 1 de Setembro = Aveleiro (Coll)
      * 2 de Setembro – 29 de Setembro = Videira (Muin)
      * 30 de Setembro – 27 de Outubro = Hera (Gort)
      * 28 de Outubro – 24 de Novembro = Junco (Ngetal)
      * 25 de Novembro – 23 de Dezembro = Sabugueiro (Ruis)

    Dica: É possível também usar uma variação da árvore do seu mês, por exemplo, se a sua a árvore for sorveira você também pode usar sorveira brava ou se a sua for salgueiro você pode também pode usar salgueiro-chorão, salgueiro-branco ou salgueiro-do-ártico. Você pode achar o nome dessas variações no google ou na wikipedia.


    Aqui um outro calendário de árvores célticas:

    Roseira Brava - 01 Abr à 10 Abr, 12 Dez à 21 Dez
    Pinheiro - 02 Jan à 11 Jan, 25 Jun à 4 Jul
    Álamo-Negro - 12 Jan à 24 Jan, 15 Jul à 25 Jul, 23 Set
    Bétula - 25 Jan à 03 Fev, 24 jun
    Cerejeira - 04 Fev à 08 Fev, 01 Mai à 14 Mai, 03 Set à 12 Set
    Carvalho - 09 Fev à 18 Fev, 24 Ago à 02 Set
    Abeto - 19 Fev à 28 Fev, 02 Dez à 11 Dez
    Sabugueiro - 01 Mar à 10 Mar, 14 Jun à 23 Jun
    Hera - 11 Mar à 20 Mar, 14 Out à 23 Out
    Giesta - 22 Mar à 31 Mar, 14 Ago à 23 Ago
    Pereira - 24 Out à 30 Ou
    Faia - 11 Abr à 20 Abr, 01 Jun à 03 Jun
    Nogueira - 21 Abr à 30 Abr, 04 Out à 13 Out
    Espinheiro - 15 Mai à 24 Mai, 05 Jul à 14 Jul
    Aveleira - 25 Mai à 31 Mai, 01 Nov à 11 Nov
    Choupo - 04 Jun à 13 Jun, 22 Dez à 25 Dez
    Junípero - 26 Jul à 4 Ago, 12 Nov à 21 Nov
    Faia da Floresta - 5 Ago à 13 Ago, 22 nov à 01 Dez
    Tília - 24 Set à 03 Out
    Sorveira Brava - 21 Mar e 31 Out
    Macieira - 26 Dez à 01 Jan, 13 Set à 22 Set[/b]


    Última edição por Admin em Qua Dez 21, 2016 11:07 pm, editado 1 vez(es)
    avatar
    Mestre
    Admin

    Mensagens : 248
    Data de inscrição : 03/12/2016

    Re: Criação de varinhas

    Mensagem por Mestre em Ter Dez 13, 2016 7:07 pm

    Madeiras do pottermore
    OBS: As madeiras do pottermore são relativas a personalidade da pessoa.

    Abeto (Fir)
    Meu avô Gerbold Octavios Olivaras sempre chamou as varinhas dessa madeira de “sobreviventes”, pois ele vendeu varinhas de abeto para três bruxos que logo depois passaram por um perigo mortal. Não há dúvidas de que essa madeira, que vem de uma das árvores mais flexíveis que existem, produz varinhas com um poder muito estável e forte para seus verdadeiros donos, e não funciona bem com os que não tem muitas habilidades ou que sejam indecisos. Varinhas de abeto são particularmente ligadas à transfiguração, e escolhem donos que sejam focados, tenham força mental e ocasionalmente pessoas intimidadoras.

    Abeto Vermelho (Spruce)
    Fabricantes de varinhas inexperientes acham que esta é uma madeira difícil mas, ao dizer isso, eles revelam sua própria inaptidão. É bem verdade que é necessário um pouco mais de dedicação ao se trabalhar com o abeto vermelho, que produz varinhas muito desleais e voláteis, com uma natureza muito nervosa, e se torna positivamente perigosa em mãos menos habilidosas. As varinhas de abeto vermelho exigem mão firmes, pois elas costumam ter sua própria ideia de como a magia deve ser executada. Seja como for, quando uma varinhas dessas encontra um parceiro – que, pela minha experiência, é um feiticeiro corajoso e bem-humorado – ela se torna uma super ajudante, intensamente leal ao seu dono e capaz de executar efeitos particularmente extravagantes e teatrais.

    Acácia (Acacia)
    Uma madeira muito incomum, com a qual eu encontrei varinhas muito manhosas que se recusavam a fazer magia para qualquer um além de seu possuidor, e também privavam seus melhores efeitos daqueles que não eram muito talentosos. Essa sensibilidade fez com que fosse muito difícil de se vender, mas eu ainda mantenho um pequeno estoque de varinhas de acácia para bruxos mais sutis, mas elas não são recomendadas para fazer magia comumente conhecida como magia “nem-fede-nem-cheira”. Quando bem empunhada, uma varinha de acácia demonstra muito poder, embora subestimado devido a peculiaridade de seu temperamento.

    Álamo (Aspen)
    A madeira boa de se fazer varinhas de álamo é branca e fina e de muito desejo de todos os fabricadores de varinha, por ter muita semelhança com o marfim e sua maravilhosa aparência. O dono dessa varinha geralmente é um ótimo duelista, ou é destinado a ser um, já que a varinha de álamo é uma das poucas que são particularmente adequadas a mágicas marciais. Um clube de duelos infame do século XVIII chamado A Lança Prateada, tinha reputação por somente admitir aqueles que possuíam varinhas de Álamo. Na minha experiência, os donos de varinhas de álamo tem opiniões fortes e são determinados. São mais atraídos por desafios e novidades. Essa é uma varinha para revolucionários.

    Amieiro (Alder)
    O Amieiro tem uma madeira muito rígida, mas eu descobri que seu possuidor não é uma pessoa obstinada ou teimosa, mas sim uma pessoa generosa e geralmente amável. Enquanto a maioria das madeiras procuram características similares naqueles a quem elas escolhem, o amieiro é incomum nesse aspecto e parece que procura uma natureza que não seja precisamente oposta a sua, mas certamente uma que tenha diferenças marcantes. Quando um amieiro é bem colocado, se torna um ajudante magnífico e prestativo. De todos os tipos de varinha, o amieiro é melhor para feitiços não-verbais, de onde vem sua fama de ser apropriado apenas para os bruxos e bruxas mais avançados.

    Aveleira (Hazel)
    Uma varinha sensível, a varinha de aveleira costuma refletir o estado emocional de seu dono, e funciona melhor com um mestre que a entenda e possa controlar seus próprios sentimentos. Outros deviam ser muito cuidadosos ao portar uma varinha de aveleira, ainda mais se seu dono for temperamental ou sofre de uma séria decepção, pois a varinha irá absorver essa energia e descarregá-la imprevisivelmente. O ponto positivo da varinha de aveleira, além de não causar grandes desconfortos, é a sua capacidade de realizar uma magia excelente nas mãos de pessoas habilidosas, e ela é tão devota ao seu mestre que as vezes “falha” (o que, devo dizer, expele toda sua magia e se recusa a funcionar, muitas vezes causando a necessidade de se extrair o núcleo e inseri-lo em outra varinha, se ela não voltar a funcionar) no fim da vida de seu mestre (e se o núcleo for de pêlo de unicórnio, entretanto, não há esperanças; a varinha certamente quase “morrer”). Varinhas de aveleira também tem a inigualável capacidade de detectar água subterrânea, e irá emitir uma fumaça prateada quando passar perto de gêiseres e poços d’água.

    Azevinho (Holly)
    Azevinho é um raro tipo de varinha de madeira; tradicionalmente considerada protetora, funciona melhor com aqueles que, talvez, precisem de ajuda para superar tendência a sua raiva e impetuosidade. Ao mesmo tempo, varinhas de azevinho escolhem donos que estão envolvidos em alguma busca perigosa e muitas vezes espiritual. Azevinho é uma dessas madeiras que variam radicalmente sua performance dependendo do núcleo da varinha, e é notoriamente difícil unir essa madeira com a pena de fênix, uma vez que a madeira volátil conflita, curiosamente, com a indiferença da fênix; mas em caso de alguém encontrar seu par em uma varinhas dessas, ninguém deverá ficar em seu caminho.

    Bordo (Maple)
    Eu geralmente percebo que aqueles que são escolhidos por varinhas de bordo são por natureza viajantes e exploradores; elas não são varinhas de tarefas-de-casa, e preferem ambição em seus donos, caso contrário sua magia se desenvolve carregada e imprecisa. Novos desafios e mudanças regulares fazem essa varinha literalmente brilhar, desenvolvendo-se à medida que cresce com seu parceiro em habilidade e status. Essa é uma madeira muito bonita e desejada, e a qualidade da varinha de bordo foi a mais desejada e cara durante séculos. O possuidor de uma varinha de bordo se tornará uma pessoa com status, por causa da reputação e alto valor de sua varinha;

    Carvalho (Red Oak)
    Você já deve ter ouvido o ditado ignorante de que varinha de carvalho é uma prova infalível do pavio curto de seu dono. Na verdade, o dono ideal para uma varinha de carvalho é aquele que tem incomuns reflexos rápidos, fazendo desta um varinha perfeita para duelos. Menos comum que o Carvalho Inglês, eu descobri que seu dono ideal deve ser sensível, de raciocínio rápido e adaptável às situações e, geralmente, criam feitiços famosos e característicos, e são ótimos parceiros de luta. Varinhas de carvalho são, na minha opinião, as mais bonitas.

    Carvalho Inglês (English Oak)
    Uma varinha para os bons e maus tempos é uma amiga leal ao bruxo que a merece. Varinhas de carvalho inglês escolhem parceiros fortes, corajosos e fieis. O que não se sabe, é que varinhas de carvalho inglês escolhem aqueles que tem uma forte intuição, e, geralmente, uma afinidade com a magia do mundo natural, trabalhar com criaturas e plantas deixam este bruxo muito feliz. O carvalho é chamado Rei da Floresta do solstício de inverno até o de verão e a madeira só deve ser recolhida nesse período (O azevinho começa a se tornar rei no dia em que o carvalho começa a diminuir, então o azevinho deve ser retirado nessa parte do ano). Acredito que essa divisão tenha originado o velho ditado “Quando a varinha dele é de carvalho e a dela de azevinho, quando se casarem ela o deixará louquinho”, porém acho esse ditado sem fundamentos. Diz-se que a varinha de Merlin era de carvalho inglês, embora o seu túmulo nunca tenha sido encontrado, então não há provas.

    Castanheira (Chestnut)
    Essa é a madeira mais curiosa e multifacetada de todas, pois varia largamente suas características dependendo do núcleo e absorve muito da pessoa que a possui. A varinha de castanheira é atraída para bruxos e bruxas que são hábeis domadores de criaturas mágicas, aqueles que possuem habilidade em Herbologia, e aqueles que são voadores naturais. Sendo assim, quando combinada com núcleo de fibra de coração de dragão, um dono melhor talvez sejam aqueles que são apegados à luxuria e coisas materiais, e menos escrupulosos do que eles são capazes de obter. Convencionalmente, três diretores da Suprema Corte dos Bruxos possuíram varinhas e castanheira com núcleo de unicórnio, e essa combinação escolhe aqueles que são condizentes com todo tipo de justiça.

    Cedro (Cedar)
    Sempre que encontro alguém portando uma varinha de Cedro, eu encontro alguém com força de caráter e uma lealdade incomum. Meu pai, Gervaise Olivaras, costumava dizer “você nunca conseguirá enganar quem carrega uma varinha de cedro” e eu concordo: a varinha de cedro se sente em casa onde há perspicácia e percepção. Eu iria além de meu pai, e diria que nunca encontrei um dono de varinha de cedro a quem eu me importaria em transpor, especialmente ao magoar aqueles a quem eles amam. O bruxo ou bruxa que é escolhido por uma varinha de cedro carrega o potencial de ser um adversário assustador, que geralmente choca àqueles que os desafiam.

    Cerejeira (Cherry)
    Essa madeira muito rara em varinhas possui um estranho poder, sendo a mais valorizado entre os bruxos que estudam na escola Mahoutokoro no Japão, onde os que possuem varinhas de cedro tem prestígios especiais. Os compradores de varinhas do Ocidente devem esquecer o boato de que a flor rosa das árvores quando vivas fazem apenas varinhas frívolas ou meramente ornamentais. Mas as varinhas de madeira de cerejeira fabricam varinhas que tem um poder realmente letal, independente do núcleo, mas principalmente se unida com fibra de coração de dragão, a varinha nunca deve ser portada por um bruxo que não tenha auto-controle e força mental.

    Choupo (Poplar)
    “Se você busca integridade, procure primeiro nos choupos ” era a máxima de meu avô Gerbold Olivaras, e minha própria experiência com varinhas de choupo e seus donos confirmam isso. Aí está uma varinha realmente consistente, forte e uniforme, sempre feliz ao trabalhar com um bruxo ou bruxa de clareza moral. Há uma antiga piada sem graça ente os fabricantes de varinhas que diz que nenhuma varinha de choupo escolheu um político, mas aqui eles mostram sua lamentável ignorância: dois dos melhores ministros da magia, Eldritch Diggory e Evangeline Orpington foram donos de varinhas Olivaras de choupo.

    Choupo-Branco (Hornbeam)
    A minha varinha é feita de choupo-branco, então é com muita modéstia que eu digo que varinhas de choupo-branco escolhem para si parceiros que tenham apenas uma genuína paixão na vida, o que alguns chamariam de obsessão (embora eu prefira o termo “visão”), com a qual eu sempre vou estar realizado. As de choupo-branco se adaptam mais rapidamente do que qualquer outra ao estilo de mágica de seu proprietário, e se tornará muito personalizada tão rápido, que as outras pessoas irão achá-la extremamente difícil de manusear mesmo para o mais simples dos feitiços. É como se as varinhas de choupo-branco assimilassem o código de honra de seu dono, seja lá o que isso significa, se recusando a fazer feitiços – sejam eles bons ou maus – que não se adaptem aos princípios de seu mestre. Uma varinha particularmente fina e consciente.

    Cipestre (Cypress)
    Varinhas de cipestre são associadas à nobreza. O melhor fabricante de varinhas da era medieval. Geraint Olivaras, escreveu que sempre se sentia honrado em fazer uma varinha de cipestre, pois ele sabia que estava de frente com um bruxo que morreria numa morte heróica. Felizmente, nesses tempos nos quais quase não há sede de sangue, os possuidores de uma varinha de cipestre raramente são obrigados à entregar suas vidas, embora sem dúvida muitos deles morreriam se fosse necessário. Varinhas de cipestre encontram suas almas gêmeas na bravura, na coragem e no auto-sacrifício: aqueles que não tem medo de enfrentar as sombras na alma dos outros ou na sua própria.

    Corniso (Dogwood)
    Corniso é uma das minhas favoritas, e acho que o companheiro perfeito para uma varinha de corniso é sempre divertido. Varinhas de Corniso são peculiares e muito travessas; ela tem uma natureza muito brincalhona e insistem em procurar parceiros que possam proporcionar a elas muita emoção e diversão. Seria muito errado, porém, supor que varinhas de Corniso são incapazes de fazer magias mais sérias quando necessário; elas são treinadas para conjurar feitiços incríveis sob condições difíceis, e quando combinadas com um bruxo ou bruxa espertos e ingênuos, podem produzir encantamentos deslumbrantes. Um ponto fraco interessante das varinhas de cipestre é que elas se recusam a conjurar feitiços não-verbais e podem ser muito barulhentas.

    Ébano (Ebony)
    Essa madeira muito escura tem uma aparência e reputação impressionantes, sendo altamente adequadas aos mestres em mágicas de combate e transfiguração. O ébano fica mais feliz nas mãos daqueles que tem coragem de ser eles mesmos. Frequentemente não conformista, altamente individual e confortável com o título de “esquisito”, os donos das varinhas de ébano são muito encontradas entre os membros da Ordem da Fênix e Comensais da Morte. Na minha experiência, o ébano combina perfeitamente com aqueles que se apegam muito às suas crenças, não se importando com a pressão dos outros, e não são facilmente demovidos de seus propósitos.

    Espinheiro-branco (Hawthorn)
    O fabricante de varinhas Gregorovitch escreveu que as varinhas de espinheiro-alvo “são estranhas e controversas, tão cheias de paradoxos quantos as árvores que as originam, que dão flores com propriedades curativas, ainda que seus ramos tenham cheiro de morte”. Embora eu discorde das conclusões de Gregorovitch, nós concordamos em relação as varinhas de espinheiro-alvo, que tem uma natureza muito complexa e intrigante, assim como aqueles que são escolhidos por elas. Varinhas de espinheiro-alvo funcionam bem com magia curativa, mas também são hábeis em maldições, e eu percebi que a varinha de espinheiro-alvo se sente mais à vontade com alguém de natureza conflituosa, ou com um bruxo ou bruxa que esteja passando por uma período conturbado. Varinhas de espinheiro-alvo não são fáceis de dominar, portanto eu só consideraria dar uma varinha dessas nas mãos de um bruxo ou bruxa que prove seu valor, ao contrário as conseqüências podem ser desastrosas. Varinhas de espinheiro-alvo tem uma peculiaridade notável: seus feitiços, quando mal conjurados, podem voltar.

    Espinheiro-Negro (Blackthorn)
    O espinheiro-negro é uma madeira muito incomum na fabricação de varinhas, e tem a reputação, ao meu ver, de ser uma varinha para guerreiros. Isso não significa que seu dono, necessariamente, pratique Artes das Trevas (embora seja inegável que aqueles que o fazem gostam do prodigioso poder dessa varinha); Alguns acham que as varinhas de espinheiro-negro são de uso de Aurores e dos prisioneiros de Azkaban. Uma característica curiosa do tronco do espinheiro-negro, que tem espinhos, é que ele produz as amoras mais gostosas depois das tempestades mais difíceis, e as varinhas feitas dessa madeira parecem precisar passar por um grande perigo ou dificuldade para se tornarem verdadeiramente fiéis. Depois disso, a varinha de espinheiro-negro se torna a companheira mais fiel e leal que qualquer um poderia querer!

    Faia (Beech)
    O dono perfeito para uma varinha de faia será, quando jovem, muito mais sábio que os outros da sua idade, e quando adulto, rico em entendimento e experiência. Varinhas de faia são muito fracas quando usadas por pessoas pobres de espírito ou intolerantes. Muitos bruxos e bruxas que adquiriram varinhas de faia sem ter sido escolhidos por elas (cobiçando essa madeira tão desejada, rica e valorizada), e muitas vezes aparecem na casa de fabricantes de varinhas experientes como eu procurando saber porque as suas varinhas tão vistosas estão falhando. Quando adequadamente escolhidas, a varinha de faia é capaz de uma sutileza e maestria raramente encontradas em varinhas de outras madeiras, daí sua brilhante reputação.

    Figueira (Sycamore)
    A madeira da figueira cria varinhas curiosas, sedentas por novas experiências e que perdem seu brilho quando sujeitas à atividades mundanas. Um truque dessas varinhas tão bonitas é que entram em combustão quando obrigadas a fazer coisas “chatas”, e muitos dos bruxos e bruxas, ao chegarem a meia idade, se assustam ao ver suas confiáveis varinhas explodirem chamas em suas mãos ao pedir que elas tragam seus chinelos. Como pode ser deduzido, o dono ideal das varinhas de figueira é curioso. Vital e aventureiro. Quando encontra um dono assim, demonstra uma capacidade de aprender e se adaptar que ganhou merecidamente um lugar dentre as das varinhas de madeira de mais alto valor do mundo.

    Freixo (Ash)
    A varinha de freixo tendem a obedecer ao seu único mestre e não deve ser passada ou presenteada a alguém, pois perderá poderes e habilidades. Essa tendência é ainda maior se o núcleo for de unicórnio. Antigas superstições contam que essas varinhas raramente toleram exames detalhados, mas eu acho que o velho ditado envolvendo as varinhas da romeira, castanheira, freixo e aveleira (romeira fofoqueira, castanheira zangada, freixo é teimoso e aveleira choradeira) tenha um fundo de verdade. Os bruxos e bruxas que são escolhidos por varinhas de freixo não são, na minha opinião, facilmente removidos de suas crenças e propósitos. Como for, os bruxos e bruxas que que são frágeis ou auto-confiantes que insiste em tentar usar varinhas dessa madeira muito prestigiada vai ficar desapontado com os resultados. O dono ideal para a varinha de freixo deve ser tenaz e com certeza corajoso mas nunca arrogante ou grosso.

    Lariço (Larch)
    Forte, duradoura e de cor quente, o lariço tem sido uma madeira atraente e poderosa. Tem a fama de incutir coragem e confiança em quem a usa, assegurando que a procura superou as expectativas. Entretanto, essa varinha tão procurada, é difícil de proporcionar o que seria ideal a seus donos, e muito mais difíceis de lidar do que muitos imaginam. Eu sempre achei que essa madeira gerava varinhas de talentos ocultos e efeitos inesperados, o que talvez descreva o mestre que a mereça. É sempre o caso de um bruxo ou bruxa que é escolhido por uma varinha de lariço ainda não tenha percebido seu potencial de talentos até se deparar com ela, mas aí então eles formarão um par excepcional.

    Lima-prata (Silver lime)
    Essa incomum porém altamente atrativa madeira de varinha esteve em alta por volta do século XIX. A demanda superava a oferta, e inescrupulosos fabricantes de varinhas vendiam varinhas falsificadas para alguns clientes mais fáceis de enganar, que acreditavam estar comprando uma varinha de lima-prata. O motivo para tanto desejo nessa varinha não vem apenas de sua aparência exótica e bela, mas também porque tem fama de se saírem melhor em vidência e legilimência, ambas artes misteriosas, o que dava ao professor com uma varinha de lima-prata um status considerável. Quando a procura estava em alta, o fabricante de varinhas Arthur Cephalopos declarou que a associação entre a lima-prata e a clarevidência era “uma mentira espalhada por mercadores como Gerbald Olivaras (meu próprio avô) que tinham entupido suas lojas com varinhas de lima-prata esperando aumentar suas vendas” mas Cephalopos era um fabricante de varinhas desleixado e ignorante, assim ninguém ficou surpreso quando ele faliu, sendo ele vidente ou não.

    Loureiro (Laurel)
    Diz-se que as varinhas de loureiro não são capazes de cometer atos desonrosos, embora em sua busca por poder (um coisa muito comum entre aqueles que elas escolhem), eu conheci varinhas de loureiro que fazem magias muito poderosas e até letais. Varinhas de loureiro as vezes são consideradas instáveis, mas isso não é verdade. A varinha de loureiro parece não tolerar preguiça de seu possessor e está na condição de ser mais fácil ganhar sua lealdade. Por outro lado, ela se ligará mais facilmente ao seu primeiro mestre, e pode soltar espontaneamente algumas luzes se outro bruxo ou bruxa planejar roubá-los.

    Macieira (Apple)
    Varinhas de macieira não são bem feitas em grande escala. Elas são melhores e mais poderosas com donos que tenham muitas ambições e ideais à realizar, e essa madeira não vai bem com Artes das Trevas. É dito que o possuidor de uma varinha de macieira será muito amado e terá uma vida bem vivida, e eu notei que os clientes de ótima personalidade e charme encontram seu par perfeito em varinhas de macieira. Uma habilidade incomum de conversar com outras criaturas mágicas nas suas línguas nativas geralmente é encontrada em possuidores de varinhas de macieira, o que inclui o célebre autor do livro Sereianos: Um Guia Compreensível de Sua Linguaguem e Costumes, Dylan Marwood.

    Nogueira (Walnut)
    Aos bruxos e bruxas inteligentes é bom oferecer primeiro uma varinha de nogueira, porque de nove em dez casos, elas serão almas gêmeas. Varinhas de nogueira também são muito encontradas nas mãos de bruxos inovadores e inventores. Essa é uma bela varinha, possuidora de uma versatilidade e habilidade incomuns. Mas deve-se tomar cuidado, pois: Enquanto algumas varinhas são difíceis de dominar, e podem se recusar a conjurar feitiços contrários a suas naturezas, a varinha de nogueira, uma vez subjugada, irá fazer qualquer coisa que seu dono desejar, provando que o usuário é suficientemente brilhante. Isso se torna uma varinha realmente letal nas mãos de bruxos sem consciência, pois a varinha e o bruxo podem criar entre si uma dependência particularmente doentia.

    Nogueira-negra (Black Walnut)
    Mais rara que a varinha de nogueira comum, a varinha de nogueira negra procura um mestre que tenha bons instintos e ponderosa intuição. A madeira da nogueira negra é muito bonita, mas não é a mais fácil de se usar. Ela tem um truque muito pronunciado: ela é anormalmente sintonizada aos conflitos internos de seu portador, e perde poder drasticamente quando este está passando por algum tipo de auto-engano. Se o bruxo ou bruxa é incapaz ou relutante em ser honesto consigo mesmo e com os outros, a varinha falha várias vezes em sua performance e deve ser combinada com um novo dono para ter recuperados os seus poderes. Uma vez com um dono sincero e auto-confiante, ela se torna uma das mais leais e passivas varinhas de todas, com um toque particular de performance.

    Olmo (Elm)
    A crença infundada de que apenas bruxos de sangue-puro podem produzir mágica através de varinhas de Olmo foi, com certeza, gerada por um bruxo tentando provar suas credenciais, mas eu mesmo conheço vários bruxos que se adequam perfeitamente a varinhas de olmo e que são nascidos trouxas. Mas é verdade que as varinhas de olmo escolhem aqueles que tenham presença, destreza mágica e alguma dignidade nativa. De todas as madeiras, o olmo é o que produz menos acidentes, menos erros bobos, e os mais elegantes e charmosos feitiços; essas varinhas são sofisticadas, capazes de magia de alto nível se usadas nas mãos certas (o que, de novo, torna-se um objeto de desejo para os que acreditam na filosofia dos sangue-puro).

    Pau-Brasil (Redwood)
    Varinha de qualidade, Pau-Brasil está em falta devido à constante demanda que vem da reputação de que traz boa fortuna ao seu mestre. Como é o caso de Wandlore, a população em geral vê a realidade invertida: Varinhas de pau-brasil não são sortudas, mas elas são fortemente atraídas por bruxos e bruxas que tem a habilidade de ter os pés no chão, fazer a escolha certa, e tirar vantagem de uma catástrofe. A combinação de um bruxo ou bruxa com essa varinha é sempre intrigante, e eu geralmente espero ouvir grandes feitos quando vendo essa varinha tão especial.

    Pereira (Pear)
    Essa madeira dourada produz varinhas de poderes mágicos esplêndidos, e dão o seu melhor nas mãos de que tem um coração bondoso, generoso e prestativo. Os donos de uma varinha de pereira são, pela minha experiência, populares e respeitados. Eu não conheço um só caso em que uma varinha de Pereira tenha sido descoberta na posse de um bruxo ou bruxa das trevas. Varinhas de Pereira estão entre as mais resistentes e eu tenho percebido sempre que elas mantém sua aparência de nova, mesmo depois de longos anos de muito uso;

    Pinho (Pine)
    As fibras da varinha de pinho sempre escolhem donos independentes e individualistas, que talvez sejam conhecidos como solitários, intrigantes e, talvez, misteriosos. Varinhas de pinho gostam de ser usadas com criatividade, e diferentemente de outras, não protestam ao uso de novos métodos e feitiços. Muitos fabricantes de varinhas insistem que varinhas de pinho preferem e se desenvolvem melhor com pessoas destinadas à uma longa vida, e eu posso confirmar que nunca conheci um dono de varinha de pinho que tenha morrido jovem. A varinha de pinho é uma das que mais se dão bem com feitiços não verbais.

    Romeira (Rowan)
    O tronco da romeira sempre foi um dos melhores para se fabricar varinhas, porque ele é mais protegido do que os outros, e, pela minha experiência, deixa os feitiços defensivos especialmente mais fortes por ser difícil de quebrar. É comumente preferida por bruxos e bruxas das Trevas, e eu não me lembro de nenhuma das minhas varinhas de romeira que não tenham feito algum mal no mundo. Varinhas de romeira são melhores com os de mente aberta e puros de coração, mas essa reputação não engana ninguém – essas varinhas procuram sempre o melhor, e frequentemente trocam de lado nos duelos.

    Teixo (Yew)
    Varinhas de teixo estão entre os tipos mais raros, e seus parceiros ideais são também incomuns, e ocasionalmente notórios. A varinha de teixo tem fama de se doar totalmente ao seu possuidor, o que deve-se dizer, é claro, sobre todas as varinhas; ainda, as varinhas de teixo tem um lado mais escuro da fama, por ser boa com maldições e duelos. Seja como for, é incorreto dizer (e os que não sabem de varinhas costumam dizê-lo), que os que usam varinhas de teixo são mais atraídos por varinhas de teixo do que as outras. Um bruxo ou bruxa que se adeque a uma varinha de teixo prova ser um protetor melhor que os outros. Varinhas feitas de árvores mais velhas já foram encontradas com heróis tanto quanto com vilões. Onde há bruxos enterrados com varinhas teixo elas geralmente criam brotos para proteger o seu túmulo. O que é certo, na minha experiência, é que a varinha de teixo nunca escolhe um dono tímido ou medíocre.

    Sabugueiro (Elder)
    Essa é a madeira de varinha mais rara de todas, e tem fama de ter muito azar, a varinha de sabugueiro é a que mais traz surpresas ao seu mestre. Ela contem uma magia muito poderosa, mas teima em não obedecer a qualquer um que não seja seu dono superior. É preciso ser um bruxo memorável para manter-se com uma varinha de sabugueiro por muito tempo. A antiga superstição “varinha de sabugueiro, azar o ano inteiro” tem base somente no medo da própria varinha, mas isso não tem nenhum fundamento, e os fabricantes de varinhas tolos que se recusam a trabalhar com o sabugueiro duvidam que poderão vender esse produto, e não por medo de trabalhar com essa madeira. Mas é verdade que somente pessoas extremamente incomuns vão se dar bem com varinhas de sabugueiro, mas nas raras ocasiões em que isso acontece, eu sei que o bruxo ou bruxa em questão tem um destino muito especial. Um fato adicional que eu percebi durante meus longos anos de estudo é que os que possuem varinhas de sabugueiro quase sempre se sentem atraídos por aqueles que tem varinhas de romeira.

    Salgueiro (Willow)
    Varinhas de salgueiro possuem um incomum dom para cura, e eu percebo que o dono ideal para essa varinha geralmente tem um pouco de insegurança (nada comprovado), embora eles tentem escondê-la. Enquanto muitos clientes confiantes insistem em testar varinhas de salgueiro (atraídos por sua beleza e merecida reputação de ser boa com mágica avançada e feitiços não-verbais), minhas varinhas de salgueiro constantemente escolhem aqueles que tem grande potencial, e preferem os que sentem que sempre tem algo a aprender. Sempre houve um provérbio em minha família que diz “Aqueles que tem longos caminhos a percorrer vão mais rápido com varinhas de salgueiro.”

    Videira (Vine)
    Os druidas consideram qualquer coisa com caule lenhoso uma árvore, e a da videira faz varinhas tão especiais que eu fico feliz em continuar com tradição ancestral deles. Varinhas de videira são um dos tipos mais incomuns, e eu fiquei intrigado ao notar que seus donos são os bruxos ou bruxas que geralmente procuram os melhores objetivos, que tem uma visão além do normal e que frequentemente tentam surpreender aqueles pensam que os conhecem melhor. Varinhas de videira parecem ser fortemente atraídas por pessoas de personalidade misteriosa, e eu as acho mais sensíveis que qualquer outra na hora de procurar um possível par. Fontes confiáveis acreditam que essas varinhas podem emitir efeitos mágicos apenas com a mera entrada de um dono adequado na mesma sala que elas, e eu já presenciei esse fenômeno duas vezes em minha loja.


    Última edição por Admin em Qua Dez 21, 2016 11:07 pm, editado 1 vez(es)
    avatar
    Mestre
    Admin

    Mensagens : 248
    Data de inscrição : 03/12/2016

    Re: Criação de varinhas

    Mensagem por Mestre em Ter Dez 13, 2016 7:08 pm

    Sobre o tamanho das varinhas e a flexibilidade


    Muitos fabricantes de varinhas simplesmente combinam o comprimento da varinha com o tamanho de seu portador, mas esse é um método grosseiro e falho, porque não leva em conta muitas outras considerações importantes. Na minha experiência, varinhas maiores são para bruxos mais altos, mas também tendem a escolher pessoas com grande personalidade, e as que são mais dramáticas e espaçosas em relação a magia. Varinhas menores favorecem aos refinados e elegantes. De todo modo, nenhum aspecto isolado na composição de varinhas deveria ser considerado separadamente dos outros, e a madeira, o núcleo e a flexibilidade devem contrabalançar e complementar os atributos do comprimento da varinha.

    A maioria das varinhas está na faixa de 22 à 35cm. Embora eu já tenha vendido algumas varinhas muito pequenas e outras muito grandes (com mais de 38 cm), essas são raras exceções. Nesses casos, uma peculiaridade física determina o tamanho excessivo da varinha. Mas geralmente, as varinhas pequenas escolhem aqueles que tem alguma falha na personalidade, ou seja, algo neles está psicologicamente faltando (muitos bruxas e bruxos pequenos são escolhidos por varinhas grandes).

    A flexibilidade ou rigidez de uma varinha refere-se à capacidade de adaptação e complacência da varinha para mudar sua relação entre varinha e possuidor – embora, deve-se lembrar, esse fato não deve ser considerado separadamente das outras características da varinha, como madeira, núcleo, comprimento ou a experiência de vida e o estilo da magia, tudo isso vai se combinar para tornar a varinha em questão única.


    Última edição por Admin em Qua Dez 21, 2016 11:08 pm, editado 1 vez(es)
    avatar
    Mestre
    Admin

    Mensagens : 248
    Data de inscrição : 03/12/2016

    Re: Criação de varinhas

    Mensagem por Mestre em Ter Dez 13, 2016 7:12 pm

    Sobre a cerne

    Para ficar de fácil entendimento e decisões, faremos este post em fichamento. Diferentemente da Grã-Bretanha, onde Olivaras era considerado imbatível, o continente norte-americano foi servido por quatro grandes artesãos de varinhas. Como poderão ver, cada fabricante de varinha especializou em uma única cerne, por isso não terão outras quando você escolher qual fabricante fez a varinha de seu personagem. No entanto, tirando Beauvais, todos os outros podem usar uma variedade de madeiras para suas varinhas, basta escolher a que mais encaixa ao seu personagem. E por fim, é importante perceber que as varinhas de Quintana sempre serão longas.

    Shikoba Wolfe
    Origem: Bruxa de origem nativo americana da tribo dos Chocktaw.
    Características Únicas da Varinha: Extremamente entalhadas com belos desenhos.
    Cerne: Penas de Cauda de Pássaro-Trovão (Thunderbird) – Difíceis de dominar e boas para transfiguração.

    Johannes Jonker
    Origem: Filho de trouxas, o pai não-maj era um habilidoso marceneiro.
    Características Únicas da Varinha: Bem trabalhadas e incrustadas de madrepérolas.
    Cerne: Pelo de Pumaruna (Wampus).

    Thiago Quintana
    Origem: Desconhecida.
    Características Únicas da Varinha: Lustrosas e alongadas.
    Cerne: Uma espinha transparente do dorso do Monstro do Rio White, no Arkansas. (apenas Quintana sabe como retira-la).

    Violeta Beauvais
    Origem: Artesã de Nova Orelans.
    Características Únicas da varinha: Todas são feitas de madeira de espinheiro-branco.
    Cerne: Pelo de Rugaru (monstro de cabeça de cão dos pântanos da Louisiana). Boatos dizem que são boas para artes das trevas. A Presidente Picquery tem uma varinha de Beauvais.

    Conteúdo patrocinado

    Re: Criação de varinhas

    Mensagem por Conteúdo patrocinado


      Data/hora atual: Ter Ago 22, 2017 2:29 am